Ruptura do Tendão de Aquiles

March 10, 2020

 

O que é?

 

O Tendão de Aquiles é um dos principais tendões atuantes durante as nossas atividades cotidianas. É ele o tendão responsável pela força de flexão plantar, ou seja, a força necessária para se elevar na ponta dos pés. Esse tendão é fundamental durante as mais diversas atividades, como caminhar, saltar ou correr. Dessa forma, quando ocorre a ruptura desse tendão, a pessoa fica incapacitada até mesmo para realizar a mais simples das atividades, como andar. A ruptura desse tendão ocorre repentinamente com a realização de determinados movimentos abruptos. Muitas vezes os pacientes relatam a sensação súbita de uma pedrada na região de trás do tornozelo, podendo-se ocasionalmente ouvir até mesmo o estalo do tendão no momento da ruptura. Se não tratada adequadamente, essa lesão pode causar sequelas graves, prejudicando permanentemente a função do indivíduo.

 

Figura 1: Ruptura do Tendão de Aquiles

 

 

Por que ela ocorre?

 

A Ruptura do Tendão de Aquiles ocorre durante o chamado movimento de contração excêntrica da panturrilha, ou seja, quando ocorre a contração abrupta dos músculos da panturrilha concomitantemente ao seu alongamento. Esse tipo de movimento está associado a atividades esportivas, motivo pelo qual muitos dos pacientes que sofrem a ruptura do tendão de Aquiles o fazem durante a prática de alguma atividade física.

Existem fatores que estão associados ao aumento do risco de ruptura do tendão de Aquiles, como por exemplo a presença de degeneração prévia do tendão, o uso de determinados tipos de antibióticos ou a realização prévia de infiltrações de corticoide no tendão. No entanto, frequentemente as rupturas ocorrem sem nenhuma causa predisponente definida.

 

Diagnóstico

 

O diagnóstico da ruptura do tendão de Aquiles é feito através do exame físico. Através de uma manobra específica para identificação dessa lesão, chamada de manobra de Thompson, o médico ortopedista é capaz de realizar o diagnóstico da ruptura com precisão. Exames de imagem, como a ressonância magnética, podem ser solicitados quando há suspeita de alguma condição associada que possa interferir no tratamento, como por exemplo alterações da qualidade do tendão ou localizações não usuais da lesão. No entanto, para fins de diagnóstico especificamente, esses exames não são necessários.

 

Tratamento

 

            Tanto o tratamento conservador (não-cirúrgico) como o tratamento cirúrgico são bem descritos na literatura, e apresentam bons resultados se realizados adequadamente. Alguns estudos científicos1,2 demonstraram perda de força e maior risco de recidiva da ruptura nos pacientes tratados da maneira conservadora. Por esse motivo, de uma maneira geral, o tratamento cirúrgico é o tratamento de escolha para pacientes com baixo risco cirúrgico. Por outro lado, em pacientes com alto risco cirúrgico ou com alto risco para complicações de cicatrização de pele (por exemplo, idosos com doenças graves ou diabéticos não-controlados), o tratamento conservador pode ser recomendado. Vale ressaltar que o tratamento conservador não consiste apenas de imobilização e repouso, como era feito no passado. Para que o tratamento conservador apresente bons resultados, comparáveis ao tratamento cirúrgico, um protocolo criterioso de exercícios funcionais deve ser realizado já a partir das primeiras semanas após a lesão, com progressão gradual conforme a evolução do paciente.

            O tratamento cirúrgico para a ruptura do tendão de Aquiles se modernizou na última década. Equipamentos específicos foram desenvolvidos, de tal forma que atualmente é possível realizar o reparo do tendão através de um corte de poucos centímetros, ao contrário dos grandes cortes que eram realizados no passado. Com isso, o risco de complicações de cicatrização de pele após o tratamento cirúrgico diminuiu substancialmente.

 

Experiência pessoal

 

Durante minha carreira tive a oportunidade de tratar inúmeros casos de rupturas do tendão de Aquiles. Em 2017, realizei um fellowship de 1 ano no Hospital for Special Surgery em Nova York, hospital famoso por tratar as grandes estrelas do esporte americano. Para citar um exemplo, recentemente o atleta Kevin Durant, um dos principais jogadores da liga de basquete americana NBA, sofreu uma ruptura do tendão de Aquiles durante um jogo oficial. Ele foi levado para NY e operado pelo Dr. Martin O’Malley no Hospital for Special Surgery. Tive o privilégio de acompanhar o Dr. O’Malley durante minha estadia em Nova York e participar com ele de um trabalho a respeito das rupturas do tendão de Aquiles, que pode ser visto a seguir.

           

 Link para o artigo: https://www.jfas.org/article/S1067-2516(18)30154-6/fulltext

 

 

Contato

 

O tratamento da ruptura do tendão de Aquiles deve ser iniciado da forma mais breve possível. Caso precise de um atendimento, entre em contato nos telefones mencionados nesse site. Caso não esteja em horário comercial, envie um e-mail para guilherme.hs@gmail.com para que, se possível, possamos agilizar seu tratamento.

 

 

Referências

 

  1. Lantto, I., Heikkinen, J., Flinkkila, T., Ohtonen, P., Siira, P., Laine, V., & Leppilahti, J. (2016). A Prospective Randomized Trial Comparing Surgical and Nonsurgical Treatments of Acute Achilles Tendon Ruptures. The American Journal of Sports Medicine.

  2. Reda, Y., Farouk, A., Abdelmonem, I., & El Shazly, O. A. (2019). Surgical versus non-surgical treatment for acute Achilles’ tendon rupture. A systematic review of literature and meta-analysis. Foot and Ankle Surgery.

 

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

Dr. Guilherme Honda Saito publica novo artigo na Revista Foot and Ankle International

January 21, 2020

1/8
Please reload

Posts Recentes

February 11, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Consultório

Rua Haddock Lobo, 131 - Cj. 1509

Cerqueira César, São Paulo - SP

Tel: 011- 3151-2825

Tel: 011- 3151-2634

Agendamentos:

Contato

  • Instagram

©  2018 Orgulhosamente criado pela dperrone